Plano Diretor Participativo ingressa em nova fase

Depois da fase chamada de “escuta social”, com quase 10 mil participações para auxiliar a elaboração da proposta de governo a ser apresentada no 2º Fórum do Plano, os trabalhos desse inédito processo participativo sobre o futuro de Jundiaí entram na etapa de construção da proposta básica para deliberação posterior dos moradores da cidade.

LEIA TAMBÉM
Plano Diretor leva diagnóstico prévio para Câmara

Primeiro fórum, em maio: mais de 700 pessoas presentes

Primeiro fórum, em maio: mais de 700 pessoas presentes

As sugestões recebidas atingiram o patamar de 300 contribuições no prazo encerrado no dia 25 de junho, somando-se às mais de 700 pessoas presentes no 1º Fórum, às 400 participações nas oficinas territoriais de sensibilização em bairros também neste ano e a mais de 8 mil contribuições nos questionários em contas de água, escolas e instituições em 2014.

“Nunca tivemos um Plano Diretor debatido tão amplamente. É o mais participativo da história da cidade. Sem dúvidas esse novo processo vai trazer riqueza e maior representatividade da sociedade”, afirmou o prefeito Pedro Bigardi ainda no 1º Fórum, destacando também a qualidade técnica do conteúdo.

De acordo com a secretária de Planejamento e Meio Ambiente, Daniela da Camara Sutti, as leituras comunitária, técnica e jurídica formaram uma interpretação atual que orienta agora o trabalho de elaboração da proposta.

“É preciso agradecer ao empenho desse grande conjunto de cidadãos e cidadãs que colaboram nesse processo para a definição da Jundiaí que queremos”, disse a secretária.

As linhas gerais do trabalho seguem agora para a sistematização das contribuições dentro dos critérios técnicos e legais do Plano Diretor Participativo, incluindo o estudo dos instrumentos urbanos previstos pelo Estatuto das Cidades, de 2001, que orienta o esforço atual para um plano voltado para a qualidade de vida da cidade nos próximos dez anos.

Objetivos estratégicos
O trabalho desenvolvido nesse processo desde o ano passado já havia permitido a definição de alguns dos principais desafios de Jundiaí, que formam os doze objetivos estratégicos que estão sendo buscados na elaboração da proposta de governo que será discutida com a sociedade civil.

1. Preservação, Conservação e Recuperação de Ecossistemas Hídricos e Naturais;
2. Proteção, Promoção e recuperação de Bens e Imóveis de Interesse Histórico Cultural e iniciativas culturais;
3. Proteção e Promoção do Desenvolvimento Rural e da Produção Agrícola;
4. Fortalecimento da Base Econômica local;
5. Melhoria na Mobilidade Urbana e nas condições de acessibilidade;
6. Regulação do Uso e Ocupação do Solo e da Produção Imobiliária;
7. Contenção da Urbanização dispersa e desordenada;
8. Aproveitamento de Imóveis Ociosos localizados em áreas urbanas consolidadas;
9. Melhoria das Condições Urbanas dos bairros, com oferta adequada de equipamentos de educação, saúde, esporte, lazer e cultura;
10. Provisão Habitacional de Interesse Social;
11. Urbanização e regularização fundiária de assentamentos precários ocupados pela população de baixa renda e de interesse específico;

12. Gestão Democrática com fortalecimento da participação popular nas decisões dos rumos da cidade.

Saiba mais
Durante os preparativos e elaboração da proposta de governo, o processo do Plano Diretor vai divulgar semanalmente uma série de notas mostrando os trabalhos (chamada de “Enquanto Isso”) e outra série de notas mostrando os dados que estão sendo aprofundados para a informação da comunidade (chamada de “Você Sabia?”).

José Arnaldo de Oliveira
Fotos: arquivo – PMJ


Publicada em 02/07/2015 ▪ Leia mais sobre ,

Plano Diretor Participativo | Desenvolvido por CIJUN