Plano Diretor mobiliza regiões da cidade e segmentos sociais

Os preparativos para o 2º Fórum do Plano Diretor Participativo, no sábado (3), de 8h às 17h, no campus do Centro Universitário Padre Anchieta, está mobilizando moradores, grupos e instituições da cidade para a apresentação da proposta preliminar para Jundiaí nos próximos dez anos. O esforço da equipe do prefeito Pedro Bigardi promete boas surpresas.

FAÇA SUA INSCRIÇÃO

A5 - II forum Plano Diret g

“Com certeza os cidadãos vão conhecer, depois desses intensos debates que ocorreram desde o ano passado, com quase 10 mil participações, uma proposta preliminar para uma cidade de convívio, de qualidade de vida e de cuidados ambientais”, afirma a secretária de Planejamento e Meio Ambiente, Daniela da Camara Sutti.

Como o processo, além de participativo também é deliberativo, os participantes do evento vão escolher no período da tarde os seus representantes (delegados) por região e por segmento que vão resolver ajustes ou divergências.

Ao todo, de acordo com a definição do Grupo Gestor do Plano, sairão 101 delegados. A Prefeitura de Jundiaí, em seus diversos setores, indica 40 deles. Os demais 61 representam a sociedade civil, sendo 31 de moradores (por regiões da cidade) e outros 30 divididos entre os segmentos de trabalhadores (sindicatos), empresários (entidades), instituições profissionais, acadêmicas e de pesquisa (entidades) e organizações não-governamentais e coletivos (ONGs).

Dessa maneira, serão 17 “eleições” simultâneas na tarde do 2º Fórum, depois da apresentação da proposta preliminar de cidade elaborada pelo governo Pedro Bigardi, no período da manhã.

Encontros prévios
Nos dias que antecedem o evento, encontros preparatórios estão sendo feitos de maneira autônoma pelos diversos segmentos que formam as 30 vagas parciais desses setores da comunidade. A importância da presença de integrantes de cada segmento para conhecerem a proposta preliminar e depois escolherem seu representante é destacada dentro do método participativo.

Os moradores de todos os bairros da cidade, com 31 vagas, participam identificando onde residem nos bairros agrupados por regiões. São elas, com seus respectivos números, Rio das Pedras, Medeiros, Eloy Chaves e Ermida (1); Parque Industrial, Novo Horizonte, Fazenda Grande, Casa Branca, Distrito Industrial e Tulipas (2); Bom Jardim, Traviú, Água Doce e Poste (3); Fernandes, Currupira, CECAP, Engordadouro, Hortolândia, Parque Centenário e Torres de São José (4); São José da Pedra Santa, Fazenda Conceição, Rio Acima, Champirra, Mato Dentro, Jundiaí Mirim, Marco Leite e Pinheirinho (5); Ponte Alta, Campo Verde, Roseira, Ivoturucaia, Toca, Caxambu, Nova Odessa e Vale Azul (6); Nambi, Tamoio, Tarumã, São Camilo, Colônia, Ponte São João e Jardim Pacaembu (7); Chácara Urbana, Jardim Botânico, Horto Florestal, Centro, Vila Municipal e Vila Rio Branco (8); Alvorada, Pracatu, Aeroporto, Moisés, Anhangabaú, Retiro, Samambaia, Gramadão e Malota (9); Vianelo, Jardim do Lago, Agapeama, Vila Arens e Vila Progresso (10); Cristais, Castanho, Tijuco Preto, Santa Gertrudes e Vila Militar (11); Terra Nova/ Santa Clara e Serra do Japi (12); e Bonfiglioli, Maringá, Vila Rami (13).

Objetivos
Tanto a proposta preliminar de cidade que será apresentada pela manhã quanto os debates que possam ocorrer entre delegados escolhidos à tarde (e que terão apoio de capacitação) devem respeitar os objetivos definidos ao longo do processo preparatório e que teve quase 10 mil participações.

Relembre quais são:

1. Preservação, Conservação e Recuperação de Ecossistemas Hídricos e Naturais;

2. Proteção, Promoção e recuperação de Bens e Imóveis de Interesse Histórico Cultural e iniciativas culturais;

3. Proteção e Promoção do Desenvolvimento Rural e da Produção Agrícola;

4. Fortalecimento da Base Econômica local;

5. Melhoria na Mobilidade Urbana e nas condições de acessibilidade;

6. Regulação do Uso e Ocupação do Solo e da Produção Imobiliária;

7. Contenção da Urbanização dispersa e desordenada;

8. Aproveitamento de Imóveis Ociosos localizados em áreas urbanas consolidadas;

9. Melhoria das Condições Urbanas dos bairros, com oferta adequada de equipamentos de educação, saúde, esporte, lazer e cultura;

10. Provisão Habitacional de Interesse Social;

11. Urbanização e regularização fundiária de assentamentos precários ocupados pela população de baixa renda e de interesse específico;

12. Gestão Democrática com fortalecimento da participação popular nas decisões dos rumos da cidade.

Conheça o regimento interno do evento

 

José Arnaldo de Oliveira


Publicada em 25/09/2015 ▪ Leia mais sobre ,

Plano Diretor Participativo | Desenvolvido por CIJUN