Jundiaí vai a debate sobre mobilidade de baixo carbono

A Prefeitura participa na terça-feira (22), em São Paulo, de uma reunião técnica do Programa Mobilidade Urbana de Baixo Carbono em Grandes Cidades, ao lado das municipalidades brasileiras de Curitiba, Belo Horizonte, Brasília, São Paulo, Fortaleza e Joinville.

O convite partiu do programa iniciado em 2015 pelo Ministério das Cidades, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Global Environment Facility (GEF) e Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA).

O bilhete único manteve tarifa e estimula uso de transporte coletivo

O bilhete único manteve tarifa e estimula uso de transporte coletivo

“Esse convite mostra que nossa cidade está desenvolvendo projetos na direção da chamada Mobilidade Sustentável, que colaboram tanto para a melhoria da mobilidade urbana das pessoas como do meio ambiente“, afirma o secretário de Transportes, Wilson Folgozi.

De acordo com dados do Sistema de Estimativa de Emissões dos Gases do Efeito Estufa, do Observatório do Clima, praticamente 30% do carbono emitido no país é proveniente de energia e transporte – atrás apenas do desmatamento e mudança do uso do solo. Nesse contexto, o estímulo a projetos sustentáveis em mobilidade urbana é uma das iniciativas em andamento, nesse caso do Governo Federal, para mudar esse cenário.

O programa resulta de um convênio assinado em 2015, com US$ 6 milhões (cerca de R$ 24 milhões) a fundo perdido do Fundo Global para o Meio Ambiente das Nações Unidas para ações de baixo carbono nos trânsitos de São Paulo, Belo Horizonte, Fortaleza e Brasília na primeira fase. Para a reunião técnica, foram convidadas também Jundiaí, Curitiba e Joinville.

O teste de "parklets" busca incentivar o aumento de conforto aos pedestres

O teste de “parklets” busca incentivar o aumento de conforto aos pedestres

“Possivelmente esse convite ocorre dentro da convergência de estarmos discutindo questões relacionadas com essa futura mudança da hegemonia do carro sobre os direitos dos pedestres, dos ciclistas e do transporte público, buscando essa cidade mais voltada para as pessoas. Mas também é um tema ambiental, no âmbito das mudanças climáticas”, afirma a secretária de Planejamento e Meio Ambiente, Daniela da Camara,.

O objetivo da reunião técnica e de todo o programa é buscar ferramentas que não apenas estimulem tecnologias mais limpas, mas também ferramentas que possam avaliar os resultados em redução de emissão de gases de efeito-estufa (GEE). Em 2013, ano-base do estudo usado para o programa, o Brasil aumentou em 7,8% suas emissões sobre o ano anterior.

Programas em Jundiaí
Entre as iniciativas tomadas por Jundiaí relacionadas ao tema do programa estão a implementação estimulada pelo prefeito Pedro Bigardi do projeto-piloto Urbanismo Caminhável para trazer aos técnicos municipais novas ferramentas de análise dos pedestres (caminhabilidade) em novos projetos.

As mudanças no transporte coletivo (o Bilhete Unico; o programa Domingo Feliz, quando fica em vigor a tarifa a R$ 1; subsídio de tarifa e pagamento com cartão, entre outras) também fazem parte de ações nesse sentido.

Também foram detalhados estudos para a futura rede de ônibus de trânsito rápido (BRT) e incluídos projetos de acessibilidade, de convívio e de rede cicloviária no Plano Diretor Participativo.

José Arnaldo de Oliveira
Fotos: Fotógrafos PMJ


Publicada em 16/03/2016

Plano Diretor Participativo | Desenvolvido por CIJUN