Plano Diretor Participativo recebe comissão de vereadores

Nos preparativos para as definições finais dos 16 “conflitos” restantes entre 198 casos de opiniões divergentes em sua etapa decisiva, o Plano Diretor Participativo recebeu, nesta segunda-feira (7) a visita de integrantes da Comissão de Infraestrutura e Mobilidade Urbana, da Câmara Municipal.

A secretária de Planejamento e Meio Ambiente, Daniela da Camara Sutti, destacou a importância desse interesse direto dos vereadores Paulo Malerba, Zé Adair, Márcio Cabeleireiro e Rafael Antonucci em antecipar as dúvidas para a fase legislativa que vai ser realizada depois do encerramento da fase participativa pelo lado Executivo, no domingo (20).

Comissão legislativa destacou a importância da ampliação do diálogo sobre etapa final do Plano

Comissão legislativa destacou a importância da ampliação do diálogo sobre etapa final do Plano

“Eles trazem um pouco das preocupações que recebem, mesmo que de interesses isolados e particulares, para que possamos esclarecer como chegamos a esse projeto definitivo de cidade, com mais de 10 mil participações ”, afirmou Daniela. Também participaram do encontro os diretores Décio Pinheiro Pradela, Daniela Colagrossi e Marcelo Pilon.

Os esclarecimentos foram feitos usando os 15 mapas disponíveis com a terceira versão do anteprojeto de lei, que vai ser fechado com os técnicos e delegados com a resolução dos últimos conflitos. Todos tiveram esclarecimentos para os vereadores presentes.

“Foi bastante positivo entendermos como se chegou a essa qualidade de debate e de propostas”, afirmou o vereador Paulo Malerba, corroborado pelos demais. De forma geral, o debate tratou de como a expansão de Jundiaí no modelo atual ameaça o futuro das águas e dos moradores no horizonte de dez anos e também como a proposta busca uma cidade mais compacta, organizada e sustentável.

Um dos pontos lembrados foi inclusive o papel do Ministério Público, que poderia anular a lei vigente pelo seu confronto com a lei estadual da Área de Proteção Ambiental (APA).

De acordo com Rafael Antonucci, o mapa urbano atual chega a ser “incompreensível” e Zé Adair destacou a importância de, com as zonas especiais de interesse social, os trabalhadores não serem expulsos para pontos mais distantes. E Márcio Cabeleireiro destacou a importância de a cidade se preocupar com qualidade de vida para os moradores.

Uma das questões colocadas na apresentação foi o fato de que em mais de 130 reuniões, aquelas que envolveram setores diferentes como movimentos sociais e empresários, por exemplo, passaram de uma situação do confronto de ideias, onde alguém iria perder, para o diálogo de propostas que pudessem contemplar a cidade como um todo.

José Arnaldo de Oliveira
Foto: Dorival Pinheiro Filho


Publicada em 07/03/2016 ▪ Leia mais sobre , ,

Plano Diretor Participativo | Desenvolvido por CIJUN