Tratorada agrícola no Paço Municipal defende valorização das áreas rurais

Praticamente uma centena de tratores vindos dos mais diversos bairros rurais de Jundiaí fez uma concentração na tarde desta quarta-feira (15) no Paço Municipal. A tratorada ou “tratoratta” foi uma manifestação espontânea em defesa do apoio público para a zona rural, inclusive nos planos territoriais, e surpreendeu os servidores municipais.

“É uma manifestação legítima. Aproveitei para agradecer o apoio deles ao debate do Plano Diretor Participativo, que agora está sendo analisado pela Câmara. Foi um trabalho bem estruturado, técnico, que, com essa participação, se preocupou com a cidade toda, com sua história e sua cultura, e olhou para a zona rural, para as serras e para a melhor qualidade de vida urbana reorganizando essa ocupação desordenada orientando melhor a verticalização. É um debate que vai caminhar bem, se Deus quiser, para o futuro de toda a cidade”, afirmou o prefeito Pedro Bigardi.

LEIA TAMBÉM
Ministério Público aprova projeto do Plano Diretor

Projeto Nascentes avança em seus trabalhos prévios
Jundiaí salta para 6º lugar estadual no ‘Programa Município Verde e Azul’

Tratorada fez concentração na área externa do Paço: por apoio à zona rural

Tratorada fez concentração na área externa do Paço: por apoio à zona rural

Os agricultores vieram dos bairros do Caxambu, Toca, São José da Pedra Santa, Corrupira, Bom Jardim, Poste, Traviú, Champirra, Jundiaí Mirim e outros.

Quem não está do nosso lado não tem juízo. Vai viver de que, de vento”, afirmou Carlos Marzulo, do bairro São José, dizendo que apenas uma pequena parte dos tratores da cidade participou da manifestação. “Se tirar todos os tratores da roça, a cidade pararia.”

Vindo do Traviú, o produtor Odair Lourençon também definiu em poucas palavras a importância do setor rural. “As pessoas não pensam que isso garante a qualidade de vida na cidade. É mais saúde, mais alimento, mais proteção de nascente e também a cultura da nossa raiz”, afirmou.

O prefeito recebeu o ato ao lado das secretárias Daniela da Camara e Valéria de Oliveira

O prefeito recebeu o ato ao lado das secretárias Daniela da Camara e Valéria de Oliveira

O bom humor também não faltou entre os participantes. Ao receber de um amigo que passava o comentário de que “estava bonito” (o ato), o agricultor José Bardi, do Caxambu, respondeu que “nós sempre fomos bonitos, apenas estamos judiados”.

Também não faltaram emoções, como no caso de Eduardo Bortolo, do bairro do Corrupira, que, ao lado do filho de dois anos e meio em cima do trator, apontava “este futuro produtor de uva”.

Ao ser perguntado sobre o motivo da importância zona rural, o agricultor Luciano Tofanin, do Caxambu, reforçou que “zona rural é para quem trabalha o legado de seus bisavós ou para quem queira fazer isso” destacando a característica familiar do setor em Jundiaí.

A manifestação em defesa da zona rural e da agricultura permaneceu na área externa do Paço entre 15h30 e 16h30.

Resgate
As políticas públicas relacionadas com o setor rural cresceram na cidade a partir de 2013, com o resgate do formato comunitário da Festa da Uva, que ampliou de 32 mil para 170 mil o número de visitantes, a criação do Programa de Subsídio ao Seguro Agrícola, o fortalecimento do turismo rural dentro dos dados que mostram que Jundiaí atingiu o patamar de 450 mil visitantes (em dados de 2014), o fortalecimento da rede municipal de abastecimento para comercialização direta ou próxima dos produtores aos moradores da cidade, os levantamentos de nascentes e fragmentos naturais do município e a previsão de mecanismos como o pagamento de serviços ambientais dentro das propostas do projeto do Plano Diretor.

O ato reforçou essa pressão com o tema de que o agricultor te alimenta três vezes ao dia.

José Arnaldo de Oliveira
Fotos: Alessandro Rosman


Publicada em 16/06/2016 ▪ Leia mais sobre

Plano Diretor Participativo | Desenvolvido por CIJUN