Mapa 5 – zoneamento

Mapa 05 - Zoneamento



Os comentários para este texto já foram encerrados.

Quem já participou (8)

  • Luiz Dias da Silveira Junior e Liliane Azarias Schüller disse:

    A futura Cidade Administrativa que abrigará inclusive o Fórum de Jundiaí, deve possuir áreas ao seu entorno ou próximas que permitam a verticalização e uso comercial para organizar a demanda de consumo, como por exemplo, salas comerciais, restaurantes, lojas, serviços para atender os usuários da regiãos.
    Existe infraestrutura já implantada no local e emperrar a utilização dessas áreas ocasionaria apenas o descontentamento com o planejamento urbano e grande tráfego de veículos.

  • Silvio Drezza (COMDEMA) disse:

    Região da Rodovia D. Gabriel Paulino Bueno Couto x Antonio Pincinato:
    No cruzamento dessas vias citadas acima existe um polígono de formato trapezoidal, cujo zoneamento proposto conflita com a Zona de Conservação da Vida Silvestre pelo Decreto da APA – também incidente neste local;

    No último terço da Avenida Antonio Pincinato (frente para um loteamento industrial) existe um divisor de águas que é limite de zoneamento do Decreto da APA. Compatibilizar a ZCH desse Decreto Estadual com o zoneamento do Plano Diretor;

    Região Sudeste – cruzamento da Rodovia Pres. Tancredo Neves x SPA 53/332
    A legenda de corredor vem pela Rodovia Pres. Tancredo Neves e nesse cruzamento deflete à esquerda, em direção à Várzea Paulista. A porção da direita (a partir desse cruzamento) é Zona de Conservação da Vida Silvestre. Portanto, o corredor é incompatível.

    Porção Noroeste do município, tendo como referência a Rodovia Anhanguera – próximo a divisa com Louveira:
    Existe um divisor de águas das Bacias do Rio Capivari e Rio Jundiaí. O que for da Bacia do Capivari (ZCH pelo Decreto da APA), deve ser área de Bacia no Plano Diretor. A porção que estiver na Bacia do Rio Jundiaí, pode ter outro zoneamento – podendo manter o proposto. O importante é não criar pressão nas áreas de manancial.

  • MÁRCIO ANTONIO VIOTI disse:

    Os lotes da quadra R e S do loteamento Malota, junto ao futuro trevo da Av. 9 de Julho na Rodovia Anhanguera, estão separados fisicamente do loteamento por uma imensa área verde e tem características de uso misto. Estes imóveis estão atualmente classificados como ZR3, e a nova definição de zoneamento os classifica como Zona de Desenvolvimento Periurbano 1, o que consequentemente conflitará com os usos dos imóveis vizinhos e destoa da real vocação para toda esta região junto à Rodovia.
    PROPOSTA: Corrigir o Mapa classificando estas quadras como Zona Industrial e de Desenvolvimento Regional Urbano.

  • Silvio Drezza / Roberval Guitarrari / Liliana Traldi (AEJ/CREASP) disse:

    Proposta 1: (Porção Noroeste – tendo como referência a Rodovia Anhanguera, sentido Interior). Zoneamento do Mapa: Zona de Produção Agrícola e e Desenvolvimento do Turismo Rural e Cultural
    Uma parte da margem esquerda e à direita dessa Rodovia é Zona de Conservação Hídrica da Bacia do Capivari. Alterar o zoneamento para Zona de Proteção e Recuperação de Manancial das Bacias do Rio Jundiaí Mirim, Caxambu e Capivari.
    Justificativa: a área de manancial tem regramento mais restritivo que as demais zonas de proteção e preservação, principalmente no quesito permeabilidade.

    Proposta 2: Nesta mesma região, ao longo da Rodovia da Uva e onde estão inseridos os Bairros do Engordadouro, Poste e parte do Bom Jardim já possuem ocupação antrópica, devendo prever uso urbano, alterando o zoneamento para Periurbano 2.

    Proposta 3: Porção Sudeste – após o Jardim Sta Gertrudes, em direção à Franco da Rocha). Pelo Decreto da APA, a Avenida Augusta Zorzi Baradel é limite de zoneamento. Compatibilizar o Zoneamento Municipal com o Zoneamento Estadual, alterando o zoneamento para Periurbano 2.

    Justificativa (para as Propostas 2 e 3): são áreas já antropizadas, com ocupação urbana e de serviços. Considerando que as áreas prioritárias para preservação são a Serra do Japi e da área de manancial, essas áreas servem para o propósito de garantir novas áreas de ocupação urbana sem comprometimento ambiental. Além do mais, na área da Proposta 3 existe 3 áreas demarcadas como ZEIS II – incompatíveis para este uso e dentro da zona rural.

  • Nivaldo Callegari disse:

    A área atualmente do IAC, que conforme site oficial (http://www.iac.sp.gov.br/areasdepesquisa/engenharia/) apresenta o seguinte:
    “Desde 1969 o Centro de Engenharia e Automação promove ações para a modernização da agricultura.
    Situado no município de Jundiaí SP, na via marginal Leste do km 65 da Rodovia Dom Gabriel Paulino Bueno Couto – SP300, ocupa e conserva área de 110 ha aos pés da Serra do Japi, declarada Reserva da Biosfera pela UNESCO em 1992.”
    Está no mapa de zoneamento proposto como sendo Periurbano 2 permitindo concentração de grande população no local, o que não seria adequado frente as questões sociais e ambientais desse espaço.
    Veja que o mapa sugerido no Anteprojeto com a tabela do art. 340 (em estudo) culminará no seguinte:
    Área aproximada: 110 hectares
    Caracterizada como periurbano 2 : 50 qtmin/UH (m2)
    Resultado: possibilidade de ser implantada uma densidade de 800 Hab por hectare ou seja 88.000 pessoas ou 22000 unidades.
    A área deverá ser melhor protegida.
    PROPOSTA: A área do IAC deve ser apontada com zoneamento diferenciado por suas questões ambientais. Se o poder público deseja torná-la Zona de Desenvolvimento, que seja na modalidade Periurbano 1, por ser mais restritiva.

  • IAB - AU Jundiai disse:

    Sugerimos a criação de zonas de amortecimento nas áreas áreas envoltórias ao território da Serra do Japi, além da zona de amortecimento já prevista na lei 417/2004, a fim de proporcionar a implantação de parques e outros equipamentos que absorvam a demanda por lazer.

  • IAB - AU Jundiai disse:

    Sugerimos que todas as áreas institucionais, municipais, estaduais ou federais, sejam identificadas e demarcadas com zoneamento específico.

  • MÁRCIO ANTONIO VIOTI disse:

    A Bignardi Indústria de Papéis e Artefatos Ltda, produtora de papéis para imprimir e escrever, incorporou a Indústria de Papel Gordinho Braune Ltda, que por sua vez iniciou suas atividades industriais no atual endereço no ano de 1925.
    A proposta de zoneamento reclassificou o local onde se encontra a indústria como Zona de Desenvolvimento Periurbano 1, o que inviabilizará projetos que visam manter a empresa competitiva.
    PROPOSTA: Corrigir o mapa inserindo toda a propriedade da empresa localizada na Av. Antonio Pincinato, 7.600, na Zona Industrial.



Plano Diretor Participativo | Desenvolvido por CIJUN