Capítulo 2 – Do Zoneamento

Capítulo 2

O zoneamento institui as regras gerais de uso e ocupação do solo para cada uma das Zonas em que se subdividem as Macrozonas, delimitadas no mapa a seguir:

Mapa - PDP



Os comentários para este texto já foram encerrados.

Quem já participou (7)

  • Danielle Tega disse:

    Contribuição enviada à delegada da Região 6 pelo Sr. Valdecir Ferreira Rosa (RG: 33.001.005-0; CPF: 223.034.548-67).

    “Com a intenção da alienação ou parceria com empresas do setor imobiliário com as áreas do Clube Caxambu, aonde as áreas se encontram desativadas gerando problemas de saúde e segurança pública. Visando o melhor aproveitamento das áreas de maneira sustentável e de conservação ambiental, a idéia é aumentar o poder construtivo na área da sede do clube (gleba 1), por meio de instrumentos que possibilitariam a construir prédios até 4 andares, ou enquadrar essa gleba (gleba 1) em novo zoneamento que permitisse esse tipo de empreendimento, em contra oferta preservaria a segunda área (gleba 2) como preservação permanente do meio ambiente, ficando assim uma área grande de preservação do meio ambiente, visual cênico da região, das espécies ali existente, podendo transformar essa área num bosque para a visitação do munícipe.”

  • Christiano Ferreira dos Santos Basile disse:

    OFICINA 1-Dia 26/10/2015: Consenso dos delegados dos Movimentos Sociais

    ZONA DE REABILITAÇÃO CENTRAL
    Objetivos
    • Incentivar a mobilidade por meio de pedestres e por ciclovias, em detrimento da circulação de veículos particulares automotores (inserir)

    ZONA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL URBANO
    Objetivos
    • Ampliar acesso de cidadãos(ãs) a equipamentos sociais básicos para atividades culturais, esportivos, educacionais e de lazer (inserir)
    • Implantar a Universidade do Trabalhador (inserir)

  • Rafael Massucato de Almeida disse:

    (No Mapa) – Alterar o zoneamento ao longo da Avenida Samuel Martins até o seu encontro com a Avenida 14 de Dezembro, para a Zona de Desenvolvimento de Corredores Urbanos.

  • Gianlucca Hernandez disse:

    – Zona de desenvolvimento dos corredores urbanos:
    > Os corredores devem conter área específica para uso de transportes alternativos, não motorizados e obrigatoriamente ciclovias.
    > O mesmo é válido para zonas de desenvolvimento de corredores rurais, conter ciclovias e érea de trânsito não motorizado, como cavalos, carroças, etc.

  • HERICK GUSTAVO DE MARCHI disse:

    Proposta Plano Diretor – Bairros: Bairro do Poste e Água Doce.
    Mediante a proposta apresentada pela Prefeitura, após análise, nós, da região 3, conhecendo a nossa realidade e necessidades, vimos através desta, expor os fatos a seguir, apresentando ao final nossa proposta.
    Área destacada: inicia-se no começo da Avenida da Uva em sua margem direita, até o cruzamento com a Rodovia dos Bandeirantes, incluindo a região da Avenida Dom Domingos de Silo Lomenso, até as margens da Rodovia Anhanguera. Nessa área estão incluídas as áreas urbanas do Bairro do Poste e Água Doce, as indústrias e os loteamentos irregulares. Foto abaixo.

    Considerando:
    – que a área destacada possui vocação industrial, comercial e residencial;
    – que já existem indústrias construídas nessa área, inclusive empresas que aí estão há mais de 50 anos;
    – que já existem na área alguns loteamentos irregulares;
    – a importância de desenvolvimento do Bairro para evitar deslocamentos para o centro da cidade, já que, no momento, somos totalmente dependentes do centro de Jundiaí para executar as atividades cotidianas;
    – a facilidade das vias de acesso para a Rodovia Anhanguera e intenção e condição de ampliação dessas vias melhorando a autossuficiência da região 3;
    – enfim, a diminuição e dificuldade de mão de obra no setor agrícola e a perda de vocação de muitos produtores, assim como a diminuição na produção rural;
    Sugerimos que a parte destacada na foto seja mantida como área urbana diferenciada, permitindo o uso comercial, industrial de baixo impacto e residencial de baixa densidade, tudo para atender as necessidades da região, tendo em vista, ainda, que no atual zoneamento essa área já está classificada como urbana, sendo parte industrial e parte residencial.

    Jundiaí, 29 de outubro de 2015.
    HERICK GUSTAVO DE MARCHI

  • Liliane F. Azarias e Luiz Dias da Silveira Jr disse:

    Solicitamos que a rua João Canela, localizada no Jardim Brasil, deste município, CEP 13201-852, seja requalificada como um CORREDOR COMERCIAL, de maneira a possibilitar, bem como confirmar a permissão, das já existentes atividades de comércio e de prestação de serviços – predominantemente SS-II e CS-II, como: clinica odontológica (8630-5/04), escritório de advocacia (6911-7/01), clinica médica (8630-5/03), atendimento psicológico (8650-0/03) e fonoaudiológico (8650-0/06), escritório de contabilidade, corretora de imóveis, consultoria empresarial (7020-4/00), assessoria técnica, consultoria técnica, analise e desenvolvimento de software, programação de sistemas, analise e desenvolvimento de sistemas, licenciamento/cessão/direito/uso de programas de computador, auditoria, assessoria e consultoria em informática, suporte técnico em informática, consultoria administrativa, assessoria financeira, treinamento/instrução na área de informática, dentre outros, pois :
    1) Toda periferia do bairro Jd. Brasil, é liberada para instalações de imóveis comerciais e de prestação de serviços, contando inclusive com prédios comerciais, e esta rua faz parte desta periferia, como é possível verificar pelo mapa das áreas abrangidas do Decreto 17.586 de 30 de novembro de 1999 (Anexo II);
    2) Toda rua que possui conexão com a Avenida Nove de Julho é considerada como um corredor comercial;
    3) A referida Rua João Canela, está disposta paralelamente a Avenida Nove de Julho e não existe nada entre estas duas vias, exceto uma pequena faixa de terra; e
    4) Existe uma escada de acesso entre a referida Rua João Canela e a Avenida Nove de Julho.
    Desta forma, cumpre-nos requerer que esta situação seja regularizada com a máxima urgência, dado que a qualificação desta Rua sem a devida observação do histórico das aquisições dos lotes, das atividades que nela são exercidas, bem como das características dos Imóveis que nela foram construídos, gerariam prejuízos astronômicos aos proprietários e trabalhadores da região.

    Neste sentido, salientamos que referidas atividades não causam impactos ao tráfego local, não geram ruídos (barulhos) nem odores e possuem parqueamento suficiente, motivos estes que possibilitam e tornam justa esta causa de pedir.
    O autor da proposta acima foi o colega Dr.Leonardo Theon de Moraes.

  • HERICK GUSTAVO DE MARCHI disse:

    Proposta Plano Diretor Bom Jardim divisa com Itupeva – Bairro São Roque da Chave .

    Nós do Bairro Bom Jardim setor 3 da proposta apresentada pela Prefeitura de Jundiaí, solicitamos transformação da área rural em uma pequena parte do bairro para urbana pelas seguintes razões :
    -Somos totalmente dependentes do município de Itupeva , energia , vias públicas e proximidade com ao centro da cidade .
    – Estamos ilhados entre o Distrito industrial de Itupeva e o Distrito industrial de Jundiaí(Fazgran), o que descaracterizou totalmente a nossa região.
    – Sofremos todo o impacto das indústrias com potencial poluente do Município de Itupeva , grande movimentação de carretas e caminhões por ter se tornado um polo de logística da região.
    – Nossa região que até 20 anos atrás era uma grande produtora de uvas , se descaracterizou totalmente e hoje produz menos de 10 % do que era produzido então, não há incentivo financeiro rural que consiga reverter esta situação.
    – Não há mão de obra rural na região , que migrou para indústria e comércio .

    – Nossas divisas são absolutamente confusas hora em Jundiaí hora em Itupeva, trazendo situações absolutamente complicadas com a distinção da setorização nos dois municípios.
    – Sofremos invasões constantes de marginais pelo leito do Rio Jundiaí que vivem na região do Novo Horizonte e furtam o pouco que produzimos .
    – Existe uma vocação clara logisticamente para o uso ordenado desta região estando ha sete minutos da Rodovia dos Bandeirantes/ Shopping Serra Azul.
    – A sugestão destas áreas se tornarem local de agricultura e turismo soa como total falta de conhecimento da realidade do local onde vivemos e trabalhamos
    Estas áreas se iniciam na ponte do Rio Jundiaí Rod. Akzo Nobel numero 100 até a altura do numero 2.300 .
    Gostaríamos ainda de propor que em caso de transformação de áreas para industrias não poluentes e logística oferecemos 75 metros da margem do Rio Jundiaí como Parque Linear indo de encontro a proposta da Prefeitura de conseguirmos mais áreas alagáveis na margem do rio.
    Nas glebas que fazem divisa com a Rod Akzo Nobel doação de 6 metros para futura ampliação da via .
    Totalmente diferente de grupos interessados em especulação imobiliária somos um grupo de proprietários que as famílias vivem há mais de 80 anos na região onde se esgotou qualquer possibilidade da prática da agricultura, pela proximidade do Distrito Industrial do Municipio de Itupeva.
    Esta é uma região com perfil claro para continuidade do progresso no município com equilíbrio e sustentabilidade gerando empregos e dividendos para o município com localização adequada.

    Herick De Marchi e Augusto Checchinato
    Delegado e Suplente Região 3 .



Plano Diretor Participativo | Desenvolvido por CIJUN